m5 artigo

icon-AI-areasÁREA DE INTERVENÇÃO

Turismo e Cultura

icon-AI-projPROJETO

Produtos Turísticos Integrados de Base Intermunicipal do Médio Tejo

Eixo Turismo Cultural: Templários | Castelos do Tejo | Museu Nacional Ferroviário

icon-AI-enquadENQUADRAMENTO

O Eixo do Turismo Cultural do Médio Tejo está ancorado nas marcas “Templários”, “Castelos do Tejo” e “Museu Nacional Ferroviário, no qual se pretende reunir os agentes em torno destas marcas e recursos patrimoniais, com vista à execução de ações que permitam valorizar e promover o território. Foi estruturado em quatro programas:

1. Programa de valorização e integração do património cultural

a. Rota dos Castelos do Tejo (ação que visa dar continuidade ao projeto “5 Castelos 5 Rios” com vista à dinamização integrada do território);

2. Programa de animação do património cultural

a. Património Militar Templário: Castelo de Tomar, Castelo de Almourol e Torre de Dornes (ação que promove a ligação entre o património monumental templário e a música clássica através da realização de um festival anual de âmbito internacional);

b. Património Industrial Ferroviário: Museu Nacional Ferroviário (ação que pretende dar a conhecer a história, memória e património ferroviário através de um evento inovador que reúne música, teatro, literatura e animação.

3. Programa de certificação do património.

4. Programa de comunicação (ação de estruturação dos meios e ferramentas de promoção e divulgação a executar).

icon-AI-objOBJETIVOS GLOBAIS & ESPECÍFICOS

• Dar continuidade ao trabalho de aproveitamento e divulgação dos recursos patrimoniais da região;

• Reforçar a notoriedade nacional e internacional das marcas patrimoniais que alavancam o território;

• Contribuir para criar uma rede de castelos do Médio Tejo, com dinâmicas articuladas, coerentes e contínuas;

• Promover visitas articuladas no território, através da disponibilização de informação uniformizada e uma oferta de serviços integrados;

• Comunicar o património com recurso a dinamização e animação inovadoras, enquanto estratégias para potenciar o aumento da estada média na região;

• Reunir os agentes públicos e privados em torno destas marcas e recursos patrimoniais, com vista à prossecução de ações que permitam promover o património e inovar na oferta de experiências integradas.

icon-AI-acoesAÇÕES

Rota dos Castelos

1. Estruturação e integração do produto

a. Estudo do conceito e conceção de imagem

b. Preparação, produção de conteúdos e edição do Manual de Vendas e Guia da Rota dos Castelos do Tejo

c. Produção de painéis interpretativos interiores e exteriores

d. Aquisição de recursos de apoio à visitação para os castelos da rota

2. Gestão da Ação

a. Definição do modelo de articulação entre os parceiros para uma gestão, partilha e monitorização conjunta dos recursos de apoio à visita

Festival Zêzere Arts

Festival anual internacional de música no património, cuja primeira edição teve lugar em 2011, e que pressupõe a organização de eventos culturais e artísticos, ao longo da segunda quinzena de julho, no Convento de Cristo e centro histórico de Tomar, em Vila Nova da Barquinha e Ferreira do Zêzere. Reúne cantores solistas, cantores corais e instrumentistas, fomentando o intercâmbio cultural, e garantindo uma interessante oferta de concertos, recitais, performances, masterclasses, cursos de coro, entre outros, de entrada livre, e que tem permitido captar diferentes tipos de público à região.

Seguindo uma estratégia de programação cultural em rede, para além dos 3 concelhos do Médio Tejo, o âmbito deste Festival foi alargado levando os seus concertos a outros lugares Património da Humanidade da Região Centro, nomeadamente ao Mosteiro da Batalha.

Steampunk Fest

Este festival anual, realizado em setembro, e cuja primeira edição teve lugar em 2018, pretende celebrar o património ferroviário através de uma remissão para os primórdios da revolução industrial, na época vitoriana, aproveitando a estética steampunk para retirar proveito das infraestruturas, da cultura e do património ferroviário existente na região, tendo por base o Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento.

Incide numa programação que agrega um conjunto de expressões artísticas como o teatro, cinema, música, animação de rua, moda, atividades comerciais, entre outras, as quais são agregadas e oferecidas ao público sob um fio condutor comum – a estética steampunk, associada ao património e cultura ferroviários, assente na lógica do Turismo Industrial.

Este novo produto turístico pretende potenciar toda a história da ferrovia e dos cenários proporcionados pelo Museu Nacional Ferroviário enquanto garante de uma atmosfera e de uma estética única no país, resultando num evento de características surpreendentes para os visitantes, o que potencia a visita e o retorno.

Programa de comunicação

As características específicas do Médio Tejo, objetivadas nos seus recursos naturais e histórico-culturais distintivos, determinaram em larga medida o exigente exercício de arquitetura e engenharia de produto a que foi obrigada a CIMT para concretizar a presente Operação. A abordagem aos produtos turísticos integrados de base intermunicipal foi ancorada em três eixos estratégicos, por forma a segmentar a política de intervenção e de posicionamento tático junto dos respetivos mercados-alvo, concretizando iniciativas personalizadas para cada um dos eixos definidos - Turismo Náutico, Turismo Religioso e Turismo Cultural.

Nesta medida, e reconhecendo as especificidades de cada produto em concreto, definiu a CIMT, em virtude da sua vasta experiência e do conhecimento profundo do território e dos agentes locais, executar um Programa de Comunicação específico por cada eixo estratégico, concretizando desta forma a personalização dos instrumentos/ ferramentas de comunicação a apostar e das ações/ iniciativas de comunicação a executar, de modo a que se adequem às caraterísticas da oferta turística atual e potencial da região e ao perfil dos respetivos públicos-alvo para os quais de orienta.

A relevância turística do património histórico-cultural da região do Médio Tejo, é conferida, entre outros, pelos castelos do Tejo, a ordem Templária e o Museu Nacional Ferroviário. Estes argumentos de venda e de reconhecida atratividade turística, elevam o potencial de mercado do 'destino' Médio Tejo além-fronteiras, pelo que se propõem executar ações em concreto capazes de projetar internacionalmente o potencial turístico deste património.

Assim, o 'Programa de Comunicação do Turismo Cultural', definido pela CIMT, compreende um conjunto de ações que contribuam para reforçar a notoriedade do destino no âmbito do marcado interno alargado (Portugal e Espanha), mas também de iniciativas que permitam expandir o mercado potencial deste património à escala global.

Entre as várias iniciativas, destaque para a aquisição de uma Aplicação, denominada Descubra Médio Tejo, com conteúdos criativos, realidade aumentada, roteiros, redes sociais, entre outras funcionalidades.

icon-AI-munCONCELHOS ABRANGIDOS

Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha.

icon-AI-timeDURAÇÃO

2017-2020

icon-AI-docDOCUMENTAÇÃO

N/A

icon-AI-finFINANCIAMENTO

Centro 2020 / Portugal 2020 / União Europeia

logo-Turismo

Logo-SIG

Logo-CC

Logo-TP