População

Densidade Populacional

A densidade populacional consiste na relação entre o número de habitantes de uma determinada área territorial e a superfície desse território. Considerando os 247.330 habitantes distribuídos pelos 3.344 km2 que formam o território do Médio Tejo, verifica-se uma densidade populacional de 73,96 habitantes por quilómetro quadrado (km2).

Entre os municípios associados, destaca-se a elevada densidade populacional do concelho do Entroncamento com 1.471,8hab/km2, seguido pelos concelhos de Vila Nova da Barquinha (147hab/km2) e Torres Novas (136hab/km2), em contraste com os valores registados nos concelhos mais a este da região, nomeadamente Vila de Rei (18hab/km2) e Mação (18,3hab/km2).

Área Médio Tejo

Índice de Dependência

Os valores referentes ao índice de dependência são obtidos pelo total de indivíduos jovens (0-14 anos) e idosos (65 ou mais anos) por cada 100 elementos da população ativa (15-64 anos).

Nos municípios associados da região do Médio Tejo, destacam-se o Sardoal e Ferreira do Zêzere com valores inferiores a 30%, que contrastam com os mais de 70% registados nos concelhos de Vila de Rei e Mação.

Área Médio Tejo

Índice de Envelhecimento

O índice de envelhecimento calcula o número de idosos (65 ou mais anos) que existem por cada 100 indivíduos jovens (menos de 15 anos) numa determinada população.

Na região do Médio Tejo verificou-se uma tendência de envelhecimento populacional entre os anos de 2001 e 2011, mais acentuado nos concelhos de Mação e Vila de Rei. O município do Entroncamento apresenta o índice de envelhecimento mais baixo da região, imediatamente seguido pelos concelhos de Constância e Ourém.

Área Médio Tejo

População Residente

A população residente consiste nos indivíduos que habitam a maior parte do ano num determinado alojamento ou aí detêm a maior parte ou a totalidade dos seus haveres.

A região do Médio Tejo conta com 247.330 habitantes, sendo que a soma dos três valores municipais mais elevados, correspondentes a Ourém (45.932 habitantes), Tomar (40.674 habitantes) e Abrantes (39.325 habitantes), equivale a metade do total da população residente. Por outro lado, os valores mais baixos registam-se nos concelhos de Vila de Rei (3.452 habitantes), Sardoal (3.941 habitantes) e Constância (4.056 habitantes).

Área Médio Tejo

Setor de Atividade Económica

As atividades económicas em Portugal encontram-se agregadas em três setores, nomeadamente o primário (agricultura, caça e silvicultura), o secundário (indústria transformadora, produção e distribuição de eletricidade, gás e água e construção) e o terciário (comércio por grosso/a retalho e alojamento e restauração).

O setor terciário tem-se evidenciado no Médio Tejo, onde as atividades que o integram superam um terço do número total de empresas e sociedades da região, em particular as relacionadas com o comércio por grosso e a retalho. O número de pessoas empregadas neste setor segue a mesma tendência crescente, cujo total supera dois terços da população ativa da região (68,86%), destacando-se os municípios de Ourém, Tomar, Torres Novas e Abrantes, que, em conjunto, representam mais de 45%.

O setor secundário abrange a restante população ativa do Médio Tejo quase por completo (28,54%), que se encontra empregada, sobretudo, nos concelhos de Ourém, Abrantes e Torres Novas. Por sua vez, o setor primário cinge-se a 2,60% do total de trabalhadores, revelando pouca proeminência no território de intervenção e caraterizando-se por atividades de subsistência.

Área Médio Tejo

Taxa de Analfabetismo

A taxa de analfabetismo demonstra a relação entre a população analfabeta com idade igual ou superior a 10 anos e cada 100 indivíduos da população total inserida nessa faixa etária.

Os dados censitários referentes a 2011 revelam que a região do Médio Tejo se carateriza por uma taxa média de analfabetismo de 7,02%. Os valores mais significativos registam-se nos municípios de Vila de Rei, Mação e Sertã, onde superam os 10%, assim como nos concelhos de Entroncamento e Torres Novas que, por contraste, apresentam taxas inferiores a 5%.

Área Médio Tejo

Taxa de Atividade

A taxa de atividade consiste na percentagem da população ativa (população empregada e desempregada com idades compreendidas entre os 15 e os 64 anos) por cada 100 indivíduos da população total.

A região do Médio Tejo sofreu uma variação média de 0,1% entre os anos 2001 e 2011, com o crescimento mais acentuado nos municípios de Abrantes, Sardoal e Ferreira do Zêzere e o decréscimo mais significativo em Mação, Alcanena e Vila Nova da Barquinha. As taxas de atividade económica mais elevadas registam-se nos concelhos de Entroncamento, Alcanena e Constância, onde superam os 45%. No extremo oposto, encontramos os municípios de Mação e Vila de Rei, cujos valores não atingem os 35%.

Área Médio Tejo

Taxa de Desemprego

A taxa de desemprego permite definir o peso da população desempregada sobre o total da população economicamente ativa, ou seja, a percentagem de desempregados por cada 100 indivíduos ativos (15-64 anos).

A região do Médio Tejo registou um aumento de cerca de 4% entre os anos 2001 e 2011, atingindo um valor médio na ordem dos 10%. As variações mais significativas ocorreram nos municípios de Sardoal (maior crescimento) e Vila Nova da Barquinha (menor crescimento), sendo que os valores mais recentes destacam os concelhos de Abrantes, Tomar e Sardoal, por oposição aos valores mínimos apresentados pelos concelhos de Ferreira do Zêzere, Ourém e Vila de Rei.

Área Médio Tejo

FONTES

INE – Instituto Nacional de Estatística (Censos 2011) - informação recolhida em setembro de 2013; dados relativos ao setor de atividade económica atualizados em agosto de 2014.

Notícias

Prev Next

Aprovado Plano de Economia Circular para o Médio Tejo

A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo volta a colocar o tema da Economia Circular na ordem do dia e dar passos importantes neste âmbito. No passado dia 16 de janeiro...

23-01-2020

Autarcas voltam a assumir posição e pedem reunião sobre aeródromo de Tancos

Os autarcas do Médio Tejo deliberaram ontem, por unanimidade, no Conselho Intermunicipal da CIM do Médio Tejo, solicitar uma reunião, com carácter de urgência, ao Ministro das Infraestruturas e da Habitação.

17-01-2020

Está quase aí o Médio Tejo Adapta-(se)

Chama-se Médio Tejo Adapta-(se) e é o novo projeto da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo dirigido ao público escolar.

16-01-2020

“Voo, uma Exposição que cai bem” continua em mostra pelo Médio Tejo em 2020

“Voo, uma Exposição que cai bem” continua em itinerância pelo Médio Tejo em 2020.

16-01-2020

LINK – “Um transporte muito eficiente e interessante”

Foi lançado há um mês e o balanço não podia ser mais positivo. Chama-se LINK e está aí para servir todos os cidadãos que afluem às cidades do Médio Tejo. O...

09-01-2020

LINK – “Aproxima e confere a mobilidade a qualquer pessoa, reduzindo a pegada ecológica”

Parte às 8h00 do terminal rodoviário de Abrantes e regressa às 17h20 de Torres Novas novamente para Abrantes. Chama-se José Prates, é abrantino, tem 56 anos, e foi um dos...

27-12-2019

Programa ao Desenvolvimento das Bibliotecas Públicas será uma realidade

Decorreu no dia 20 de dezembro, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, a cerimónia de assinatura dos contratos relativos aos projetos do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Serviços...

26-12-2019

Fátima é palco do Encontro de Investidores da Diáspora em 2020

Fátima, no concelho de Ourém, vai acolher de 9 a 12 de dezembro de 2020, o V Encontro de Investidores da Diáspora.

23-12-2019

“Os Caminhos das Pessoas” é o novo projeto Cultural da CIM do Médio Tejo

Chama-se “Os Caminhos das Pessoas” e será uma realidade no território do Médio Tejo a partir do próximo ano 2020.

20-12-2019

Eventos

logo-Turismo

Logo-SIG

Logo-CC

Logo-TP