CIM do Médio Tejo prepara Portugal 2030 revisitando a estratégia da programação comunitária 2014-2020

2030

O Conselho Intermunicipal do Médio Tejo, reunido a 6 de junho, propôs a Revisitação da Estratégia de Desenvolvimento Territorial da região do Médio Tejo para o período de programação comunitária 2014-2020, no que diz respeito à preparação da Estratégia Portugal 2030.

No passado dia 13 de maio, ocorreu uma sessão de trabalho com as CIM´s, promovida pelo Ministro do Planeamento que contou, igualmente, com a presença da Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, do Secretário de Estado da Administração Local, das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regionais e da Agência para o Desenvolvimento e Coesão, que teve como ordem de trabalhos iniciar a preparação da dimensão territorial da Estratégia Portugal 2030.

O objetivo foi definir a Estratégia Nacional e Regional para o Portugal Pós 2020, sendo premente dar início à preparação do próximo período de programação dos fundos da União Europeia, que deverá subordinar-se aos objetivos e opções para o país, que já são conhecidos e que passam pela Inovação e Conhecimento; Qualificação, Formação e Emprego; Sustentabilidade Demográfica; Energia e Alterações Climáticas; Economia do Mar; Redes e Mercados Externos; Sustentabilidade dos Territórios de Baixa Densidade; Agricultura/florestas.

Neste sentido, a CIM do Médio Tejo debateu o assunto, no último Conselho Intermunicipal. E, segundo Miguel Pombeiro, secretário executivo da CIM do Médio Tejo, “aquilo que foi decidido é que não vamos definir uma nova estratégia, mas vamos revisitar a estratégia que foi para o Portugal 2020, atualizá-la e revê-la”.

“Consideramos que não faz sentido partirmos de um processo do zero, como não tivéssemos uma estratégia. Nós temos uma estratégia aprovada no início deste Quadro Comunitário, que foi bem mais abrangente do que aquilo que o instrumento dos fundos comunitários nos permitiu aprofundar”, vinca Miguel Pombeiro, acrescentando que o trabalho de continuidade “vai influenciar aquilo que são as negociações no âmbito do Portugal 2030” e “é um trabalho que esperamos ter concluído até ao final do ano”.

No âmbito do Quadro Comunitário 2014-2020, a CIM do Médio Tejo definiu cinco objetivos estratégicos, que quer continuar a apostar: Valorização dos recursos endógenos e de potencial turístico; Incorporação de valor na atividade empresarial; Promoção e coesão e da qualidade de vida; Consolidação da massa crítica urbana e governação inteligente e multidimensional.

Quanto aos trabalhos preparatórios para o próximo período de programação comunitária, é de salientar ainda que a CIM do Médio Tejo, em articulação com cinco CIM’s da região Centro (Beiras e Serra da Estrela, Beira Baixa, Região de Aveiro, Região de Coimbra e Viseu Dão Lafões), desenvolveu um documento apelidado de “Vitality of Smaller European Cities” – “Vitalidade das Pequenas Cidades Europeias”.

Este documento, que já foi presente à CCDR Centro, no final do mês de maio, para tomada de posição, tem como objetivo alertar os Estados-Membros da UE e a Comissão Europeia para a necessidade de definir uma Agenda própria para as necessidades das pequenas cidades europeias que detenham menos de 50.000 habitantes.

“Reivindicamos para além uma atenção especial aos territórios de baixa densidade, haver também programas de financiamento para pequenas cidades, que nem estão em territórios de baixa densidade, mas também não conseguem ser incluídas nos programas comunitários para cidades com 50 mil habitantes, que é o nosso caso no Médio Tejo”, explica o secretário executivo.

Considera a CIM do Médio Tejo que é necessário implementar um programa de financiamento dedicado para as pequenas cidades para preencher o “vale da morte”, ou seja, cidades que não se encontram em territórios de baixa densidade, mas também não têm 50 mil habitantes.

Assim, a CIM do Médio Tejo recomenda que o programa de apoio comunitário Portugal 2030 deve promover a discriminação positiva para cidades de pequena dimensão nas regiões europeias; Estimular uma abordagem participativa de baixo para cima que misture e envolva todo os atores urbanos; Apoiar a utilização mais inteligente dos fundos da UE - ou seja, promovendo e apoiando a abordagem integrada e participativa; entre outras recomendações.

Notícias

Prev Next

Autarcas voltam a assumir posição e pedem reunião sobre aeródromo de Tancos

Os autarcas do Médio Tejo deliberaram ontem, por unanimidade, no Conselho Intermunicipal da CIM do Médio Tejo, solicitar uma reunião, com carácter de urgência, ao Ministro das Infraestruturas e da Habitação.

17-01-2020

Está quase aí o Médio Tejo Adapta-(se)

Chama-se Médio Tejo Adapta-(se) e é o novo projeto da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo dirigido ao público escolar.

16-01-2020

“Voo, uma Exposição que cai bem” continua em mostra pelo Médio Tejo em 2020

“Voo, uma Exposição que cai bem” continua em itinerância pelo Médio Tejo em 2020.

16-01-2020

LINK – “Um transporte muito eficiente e interessante”

Foi lançado há um mês e o balanço não podia ser mais positivo. Chama-se LINK e está aí para servir todos os cidadãos que afluem às cidades do Médio Tejo. O...

09-01-2020

LINK – “Aproxima e confere a mobilidade a qualquer pessoa, reduzindo a pegada ecológica”

Parte às 8h00 do terminal rodoviário de Abrantes e regressa às 17h20 de Torres Novas novamente para Abrantes. Chama-se José Prates, é abrantino, tem 56 anos, e foi um dos...

27-12-2019

Programa ao Desenvolvimento das Bibliotecas Públicas será uma realidade

Decorreu no dia 20 de dezembro, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, a cerimónia de assinatura dos contratos relativos aos projetos do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Serviços...

26-12-2019

Fátima é palco do Encontro de Investidores da Diáspora em 2020

Fátima, no concelho de Ourém, vai acolher de 9 a 12 de dezembro de 2020, o V Encontro de Investidores da Diáspora.

23-12-2019

“Os Caminhos das Pessoas” é o novo projeto Cultural da CIM do Médio Tejo

Chama-se “Os Caminhos das Pessoas” e será uma realidade no território do Médio Tejo a partir do próximo ano 2020.

20-12-2019

Vice-presidente da CIM do Médio Tejo presente em fórum sobre “Interior”

A EAPN Portugal (Núcleos de Castelo Branco, Portalegre e Santarém), e a ANIMAR promoveram o Fórum: Interior, Incluir para desenvolver: que estratégias? que decorreu no dia 13 de dezembro, na sala...

19-12-2019

Eventos

logo-Turismo

Logo-SIG

Logo-CC

Logo-TP